Oftalmologia

A Oftalmologia é uma especialidade da medicina que estuda e trata as doenças relacionadas com os olhos e a visão. O médico oftalmologista realiza cirurgias, prescreve tratamentos e correções para os distúrbios de visão.

Esta especialidade tem também várias sub-especialidades, entre elas a oftalmo-pediatria, a plástica ocular, doenças orbitárias, doenças das vias lacrimais, o estrabismo, o glaucoma, a cirurgia refrativa, retina, córnea, etc.

Algumas patologias abordadas pelos médicos especialistas em oftalmologia no Luanda Medical Center são:

Cataratas

Quando envelhecemos, as lentes dos olhos (cristalinos) engrossam e tornam-se opacas. Eventualmente, pode ficar mais difícil ler, inclusive as placas da rua. As cores podem parecer sem vida. Estes sintomas podem sinalizar a presença da catarata, que afeta cerca de 70% das pessoas aos 65 anos.

Três questões essenciais:

  • A idade não é o único fator de risco para catarata. Embora a maioria das pessoas irá desenvolver a catarata em função da idade, estudos recentes mostram que o estilo de vida e o comportamento podem influenciar quando e quão severamente será o desenvolvimento da catarata. “Diabetes, intensa exposição à luz solar, tabagismo, obesidade, pressão alta e determinadas etnias estão relacionadas ao aumento do risco de catarata. Lesões oculares, cirurgia ocular precoce e o uso, a longo prazo, de medicamentos esteroides também pode resultar em cataratas
  • A catarata não pode ser evitada, mas você pode reduzir seu risco. Usar óculos de sol anti-UV e chapéus com abas, quando estiver exposto ao sol, pode ajudar. Vários estudos sugerem que alimentos ricos em vitamina C podem retardar a evolução da catarata. Além disso, evitar o tabagismo também diminui o risco de desenvolvimento de catarata.
  • A cirurgia pode melhorar mais do que apenas a visão do paciente. Durante o procedimento, a lente natural que está embaçada é substituída por uma lente artificial chamada de lente intraocular, ou LIO, que melhora a visão do paciente significativamente. Os pacientes têm uma variedade de lentes para escolher, cada um com diferentes benefícios. Estudos têm demonstrado que a cirurgia de catarata pode melhorar a qualidade de vida e reduzir o risco de quedas.

Retinopatia Diabética

A Retinopatia Diabética é uma das complicações da diabetes e uma das principais causas de cegueira nos adultos, devida às alterações estruturais que ocorrem nos vasos sanguíneos da retina. Com o evoluir da doença, estes vasos tornam-se incontinentes e libertam sangue ou fluido sanguíneo para o espaço retiniano ou para o vítreo causando problemas na visão.

Esta doença tanto pode surgir nos diabéticos tratados com antidiabéticos orais (diabetes tipo 2) como nos medicados com insulina (diabetes tipo 1). A retinopatia diabética surge, geralmente, ao fim de alguns anos, manifestando-se mais cedo no caso da diabetes tipo 1 do que na diabetes tipo 2. A retinopatia diabética não está só dependente dos valores da glicemia, mas também de outros fatores como a hipertensão arterial, colesterolemia, hábitos tabágicos e um outro extremamente importante que é o fator genético, nomeadamente, o hereditário.

Os doentes com diabetes tipo 1 e 2 apresentam grande probabilidade de vir a desenvolver retinopatia diabética, devendo, por isso, realizar exame de fundo ocular pelo menos uma vez por ano. A retinopatia diabética está diretamente relacionada com os anos de evolução da diabetes. Mediante o estadio da retinopatia diabética, o oftalmologista deve orientar o doente no sentido de impedir a sua progressão.

A visão turva é um dos sintomas de retinopatia diabética mais frequentes e ocorre, habitualmente, na fase proliferativa da doença, quando a mácula possui edema e quando os neo-vasos se rompem e sangram para o vítreo. A hemorragia pode reaparecer e causar visão muito turva.

A retinopatia diabética e o edema macular são detectados durante o exame oftalmológico.

A angiografia fluoresceínica é um exame que permite detectar sinais precoces da doença na retina.

A retinopatia diabética não tem cura. Contudo, se for tratada de forma adequada é possível reduzir a perda de visão. As maiores ou menores complicações ocorridas nos olhos provocadas pela diabetes estão diretamente relacionadas com o estádio da doença. Para prevenir o aparecimento e a progressão da retinopatia diabética, os doentes com diabetes devem controlar com regularidade os níveis de açúcar, a pressão arterial e o colesterol no sangue.

A diabetes está associado a diversas complicações como a disfunção e falência dos rins, do sistema nervoso, do coração e dos vasos sanguíneos. O olho é um dos principais órgãos lesados pelo diabetes.